The World Needs Metallica!

Olá!

Como prometido, nesse post irei falar um pouco sobre um lançamento desse ano que não entrou no meu Top 3, mas me surpreendeu bastante. Com vocês, as minhas impressões e percepções sobre o último trabalho do Metallica: Death Magnetic.

2008 - Death Magnetic

2008 - Death Magnetic

Confesso que hesitei um pouco para ouvir esse último lançamento do Metallica, banda que mesmo tendo surgido no começo da década de 80, junto com a explosão Thrash Metal americano, atingiu na década de 90 o título de “maior” banda do planeta após o lançamento do auto-intitulado disco (mais vulgarmente chamado de “Black Album”).

Para sentir impacto que a banda tinha nesse período, assistam o vídeo abaixo gravado no Monsters of Rock de 1991, em Moscou (Rússia):


Fade to Black – Live at Moscow 1991

Obs.:
1 – Nesse Festival participaram nada mais que Pantera, Black Crowes,. Metallica, AC/DC
2 – Reparem ao término da música, que até os militares se rendem e agitam demais até com as boinas do exército (sensacional)

Após o “boom” do MP3 e dos programas P-2-P (peer-to-peer) de compartilhamento de arquivos, como o antigo Napster, a banda entrou em uma briga tola contra o inevitável : a evolução. E com isso perdeu muita energia além de dinheiro tentando derrubar esse gigante indomável que surgia.

Ao que parece, junto com essas energias despendidas, foi-se pouco a pouco a criatividade da banda, o que pode ser notado nos lançamentos seguintes Load (1996), Reload (1997) e St. Anger (2003), este último que pode certamente ser considerado o maior fiasco da banda em sua trajetória. Com músicas tendendo ao New Metal, e com apelo 100% comercial, fugindo totalmente do que esperava o reinado de fãs adquiridos ao longo das mais de duas décadas de sucesso.

Fazendo um tipo de análise de mercado, o que faltou ao Metallica foi identificar a fase de queda na sua curva normal de maturação e envelhecimento do produto e lançar ou tomar ações que fizessem o sentido desse gráfico mudar. Após o lançamento do disco Load, eles tentaram algo mais tradicional com o disco Reload, reparem até a jogada com o nome do disco, ou seja, a própria banda percebeu que o caminho que havia tomado com o disco Load não agradara os fãs, o Reload teve uma repercussão um pouco maior do que o antecessor mas nada que impedisse a queda que viria com o St. Anger. Acredito que esse ponto de inflexão certamente seja o Death Magnetic, muito embora essa ação tenha demorado um bocado a ser tomada.

Bom, vamos ao que interessa.

Curva de Maturidade da Música do Metallica

Curva de Maturidade da Música do Metallica

Como disse anteriormente, aguardei quase 3 meses para ouvir o Death Magnetic, ao iniciar a audição na sequência do disco, nota-se o bater de um coração, indicando que ainda há vida na banda, e o que se segue é uma demonstração do que a banda é capaz.

Logo na primeira música, já me senti satisfeito ao perceber que Lars havia jogado fora suas latas de lixo e voltara a tocar em sua bateria com afinação tradicional (quem ouviu St. Anger sabe do que eu estou falando, se você não entendeu: assista o vídeo abaixo).

Músicas como That was Just Your Life, The End of the Line, Broken, Beat & Scarred e The Judas Kiss possuem tudo o que uma boa música de Heavy Metal precisa, riffs matadores, bateria em diversos tempos com boas viradas e boas cavalgadas nas guitarras.

A música The Day That Never Comes, certamente é a que possui o apelo mais comercial e foi escolhida para o single, mas não deixa de ser uma excelente música, começando bem no estilo das baladas metálicas antigas, e do meio pra frente é uma pancadaria sem fim, na minha opinião deveria existir um atalho no cd para o minuto 03:50.

As melhores do disco em minha opinião são All Nightmare Long e Cyanide, a primeira com o início com o baixo de Trujillo lembrando bastante Harvester of Sorrow, e com um dos refrões mais nervosos do play e com um solo de arrepiar ao término da música. Citando Gary Holt (Exodus) : “O mundo precisa dos solos de Kirk Hammet”.

Já Cyanide, segue com um riff mais cadenciado e o vocal de James mais moderado, e a bateria bem encaixada entre os riffs. Refrão com as típicas palhetadas soltas.
Parte da música segue com a guitarra sem efeitos e é o tipo de música perfeita para que em um show, o mediador, no caso James, agite com a galera. Essa música deve funcionar muito bem ao vivo, confira abaixo se estou falando a verdade ou não (gravada no Texas em Agosto/08):

Outra questão que chama bastante atenção, é o tamanho das músicas, em média 07 minutos, o que é bastante em se tratando de Metallica, comparando com os últimos discos da banda.

Tracklist:
01. That Was Just Your Life
02. The End Of The Line
03. Broken, Beat & Scarred
04. The Day That Never Comes
05. All Nightmare Long
06. Cyanide
07. The Unforgiven III
08. The Judas Kiss
09. Suicide & Redemption
10. My Apocalypse

Produzido por Rick Rubin (produziu discos do Slayer, Beastie Boys, The Cult, Danzig, Red Hot Chilli Peppers, Johnny Cash, AC/DC e outros)

Gravado entre Abril/07 e Maio/08
Lançado mundialmente em 12/Set/08

Kirk, James, Lars e Robert - Metallica/08

Kirk, James, Lars e Robert - Metallica/08

Banda:
James Hetfield (Guitarra e Vocal)
Lars Ulrich (Bateria)
Kirk Hammett (Guitarra)
Robert Trujillo (Baixo)

Você concorda? disccorda? deixe sua mensagem.

No próximo post, irei falar sobre um lançamento de uma grande banda que me decepcionou, e após isso o 1º lugar será publicado.

Quer dicas? a próxima banda é uma banda de Heavy Metal Inglesa e o primeiro lugar é uma banda Sueca. Difícil?

Até a próxima.

Anúncios

~ por Vitor em dezembro 19, 2008.

3 Respostas to “The World Needs Metallica!”

  1. hehehehehe eu sei a decepção e tb qm ganhou o primeiro lugar… hahaha deveria ser estraga prazer e dizer? hahahaha

    a propósito, as 2 músicas q vc escolhou como preferidas tb são as minhas, mas mta gente nao curte a cyanide… e achei a unforgiven III – the bad return (no meu ponto de vista) achei o james cantando meio forçado… e uns harmônicos meio fora de hora… mas tá valendo!

    um bjo vi, e mais uma vez, párabens!

  2. ah sim! curti o gráfico! rs!

  3. Realmente, o Metallica lançando um disco bom é surpreendente… Eu até tinha pensado que os caras tinham morrido. O_o’ Tanto que nem fiquei sabendo do disco St. Anger. Hehehe…

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s

 
%d blogueiros gostam disto: