Para sempre Purple…

Após um certo período de greve, volto a postar no nosso espaço rock ´n roll, e para compensar o atraso vou postar o review do show do Deep Purple feito pela minha amiga Renata Petrelli. (as fotos são de Stepahn Solon).

Sete de março de 2009, o Deep Purple encerra a parte paulista da sempre bem sucedida turnê brasileira com seu segundo dia de apresentação (tocaram também no dia anterior, sexta-feira). Embora os veteranos ingleses visitem o país anos e anos seguidos, eu, que finalmente consegui ver um concerto dessa banda que leva (juntamente com outros ícones) o cultuado título de pais do rock n´ roll, tão impecavelmente fizeram valer um Via Funchal praticamente lotado, e visivelmente mais afoito comparado ao show do dia anterior. É sabido dizer, que algumas bandas têm no Brasil sua terra prometida, como é o caso do Iron Maiden, Deep Purple e Scorpions, bandas com seus mais de 30 anos de carreira e, sempre tão aclamadas por aqui.

Deep Purple - Roger Glover, Ian Gillan e Steve Morse

Deep Purple - Roger Glover, Ian Gillan e Steve Morse

Esse review pode parecer um tanto quanto biográfico, mas a sensação que tive ao presenciar a primeira música da noite, Highway Star, foi mágica. Mesmo Ian Gillan com sua aparência de avô alegre (a idade chega para todos), e provavelmente gripado, a energia única e segura do que estavam fazendo era impactante. Não é a toa que influenciam tanta gente hoje em dia a ter uma banda, ou aprender uma música despreocupadamente no violão e fazem dos seus seguidores muitas vezes parecerem amadores em cima de um palco! Como dizem por aí quanto mais velho é o whisky melhor ele é, e no caso de músicos, não é diferente. A despretensão na execução de cada nota e rufar de cada música mostram a naturalidade como a banda incorpora as mesmas, se tornando um momento único.

Ian Gillan e Steve Morse

Ian Gillan e Steve Morse

Deixando o deslumbramento de minha parte, seguimos com o set-list do show: para quem duvidava que o velho e bom Deep Purple ainda tivesse energia suficiente pra levantar a galera, porque não seguir com Things I Never Said, Into The Fire e a deliciosa Strange Kind Of Woman?! Sem dúvida, de todos os shows que tive o prazer de presenciar, uma das melhores seqüências efetivas para tirar o fôlego. Brincadeiras a parte do amável Ian Gillan, é apresentada Ted, The Mechanic, seguida da faixa-título do último trabalho de estúdio Rapture of the Deep. Entre pais, filhos e netos, e do público heterogêneo que se aplica ao Deep Purple, não houve um momento se quer que toda essa gente caísse na empolgação frenética em que estavam. Chega a parte instrumental do show: Contact Lost e Well Dressed Guitar fazem do momento sublime com muito feeling (pouco mostrado hoje em dia pelos guitarristas mais novos), demonstrando um Steve Morse bem a vontade, com o público nas mãos.

Ian Paice / Roger Glover e Steve Morse

Ian Paice / Roger Glover e Steve Morse

Gillan de volta, Sometimes I Feel Like Screaming (uma das minhas preferidas) e Lazy fazem os guitarristas mais afoitos se sentirem um pouco Steve Morse com seus air guitars improvisados. The Battles Rage On é tocada para dar lugar ao incrível (e o melhor que já vi) Key Solo de Don Airey, com direito a homenagem aos brasileiros tocando Aquarela do Brasil. Hora de acabar com o show… E que finalização! Perfect Strangers, Space Truckin e claro, Smoke On The Water – essa, até segurança sabia o refrão. Hush e Black Night encerram a noite de maneira estarrecedora. Como diria um amigo meu, o Deep Purple não sabe brincar… não de se fazer show. Levam a sério e o melhor, para nossa satisfação!

Set-list:

– Highway Star
– Things I Never Said
– Into the Fire
– Strange Kind of Woman
– Vavoom: Ted the Mechanic
– Rapture of the Deep
– Contact Lost
– The Well Dressed Guitar
– Sometimes I Feel Like Screaming
– Lazy
– The Battle Rages On
– Solo de Don Airey
– Perfect Strangers
– Space Truckin´
– Smoke on the Water

BIS:
– Hush
– Black Night

Obs.: a diferença no set-list para o show de sexta-feira foi a músicas Mary Long tocada no lugar de Lazy.

Anúncios

~ por Vitor em abril 3, 2009.

2 Respostas to “Para sempre Purple…”

  1. Puts… Um dia eu ainda convenço a minha mulher pra gente ir no show deles… Mas ela já viu, então fica difícil. 😦

  2. Vixi, não sabia que a Renatinha curtia Deep Purple…que bom saber!!! Desse jeito acabo me arrependendo de não ter ido.

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s

 
%d blogueiros gostam disto: